Muito prazer!

Somos um casal de fotógrafos

Somos um casal de fotógrafos com duas filhas peludas que, no dia a dia, renovam as nossas energias para sempre buscarmos novas inspirações para produzir nossas fotos de maneira que tenham muito sentimento, sorrisos sinceros, abraços gostosos, quem sabe um pouco de saudade, mas que sempre tragam uma lembrança boa para quem as vejam. Procuramos sempre mostrar o estilo natural de vida de cada um, fotografamos muito ao ar livre e fazemos fotos em casa, para mostrar o dia a dia, o café da tarde, um almoço em família, o quarto do bebê que está para chegar, enfim, sempre procurando deixar uma luz entrar e dar um toque mais alegre às fotos.

Rodrigo Capuski

Rodrigo Capuski

por Cristina Nadalin

"Parece clichê, mas como é difícil escrever sobre a pessoa que vive e trabalha com você, e mesmo que a gente tente separar o trabalho da vida pessoal, tem muitas coisas que não tem como separar, ainda mais que o nosso trabalho veio de uma paixão que era nosso hobby e acabou se tornando nosso trabalho. O Rodrigo é trabalhando exatamente como é vivendo, ele pensa muito mais do que fala, é muito calmo em situações de estresse, passa horas no computador simplesmente porque gosta de ficar sentado lá, tem na arte uma paixão, principalmente foto e música, assim como adora escutar um rock fica deslumbrado com o som do violino. Adora os animais, e isso é recíproco, pois todos os cachorros que fotografamos sempre correm na direção dele (acho que eu sou meio Felícia), e as crianças, principalmente os bebês ficam olhando fixamente pra ele quando vamos começar um ensaio. Eu falo que é por causa da barba e, no caso dos cachorros, por causa do cheiro das nossas peludas, mas tenho certeza que essa empatia é por causa do imenso coração que ele tem e do carinho que ele demonstra. Ele consegue juntar, em proporções perfeitas, a inteligência e a coerência de suas palavras com os estudos e experiência na fotografia para enxergar e registrar fotos maravilhosas que fazem transparecer o sentimento das pessoas nas suas fotos, tornando o nosso trabalho tão bonito e único."

Cristina Nadalin

Cristina Nadalin

por Rodrigo Capuski

"A Cris é uma pessoa cativante, bem humorada e tem uma energia singular para tudo. Extremamente atenciosa e simpática, bastam alguns segundos para gostar dela e se sentir à vontade para conversar. É louca por crianças e animais (ela é meio Felícia mesmo). Adora as artes plásticas, já pintou quadros, paredes, fez artesanato e, sempre que pode, inventa algo para estimular a criatividade. Para quem a conhece mais a fundo, como eu, a ve como uma pessoa inspiradora, pois ela já enfrentou e ainda enfrenta problemas de saúde que deixariam qualquer um desacreditado da vida. Resumindo, ela já passou por um transplante de fígado e teve que retirar parte de seu intestino. Conviveu por anos com coceira crônica por todo o corpo, com vitalidade reduzida e com sistema himunológico fraco, por conta do fígado debilitado. Mesmo com todos esses problemas ela fotografava, trabalhava, fazia planos, viajava e aproveitava a vida. Quando contava de sua condição para alguém, muitos não acreditavam, pois ela nunca pareceu uma pessoa doente. Inclusive ela já trabalhou com pesquisa clínica dentro de hospitais, com interação direta com pacientes com doenças crônicas, como as dela. Todas essas lições que a vida a impôs tão cedo, fizeram dela uma pessoa única, que não gosta de perder tempo, que sabe o valor da vida e que tem um carisma imenso pelas pessoas. Essa mistura de experiência de vida, amor às artes e empatia, deu a ela um olhar fotográfico único. Ela sabe transformar um ensaio fotográfico em uma experiência agradável e ainda assim consegue capturar momentos ímpares de quem está sendo fotografado. Ela não precisa inventar uma cena, ela sente e vivencia a cena e pinta tudo isso com um clique. Sabe aqueles seres humanos que você quer sempre ter por perto, por conta de seu brilho? Ela é um desses."

Olívia

Olívia

por Leica

"A Oli é a minha irmã mais velha, eu presto muita atenção nas coisas que ela faz e já aprendi muito. Adoro morder a orelha dela e ela é bem paciente comigo, eu não demoro pra aprender as coisas, mas sou meio estabanada, pareço uma locomotiva desgovernada. Como a Olívia está aqui a mais tempo, ela já sabe melhor como fazer as coisas e como se comportar e me passa tudo direitinho, ela ajudou muito com as primeiras fotos de pet e também em como fazer uma luz legal para fotografar cachorros pretos, diz que dá um trabalhão. As vezes ela briga comigo, mas é só quando eu quero pegar alguma coisa que ela está usando, na maior parte do tempo a gente se dá super bem e ela é uma ótima companhia pra mim."

Leica

Leica

por Olívia

"A Leica chegou sem eu nem esperar, eles estavam falando em arranjar uma ajudante pra mim (na verdade era uma companhia, mas ela chegando eu fui promovida) mas eu não achava que era sério, então chegou ela, pernuda, com cara de bobona e sem saber nada da vida da cidade. Eu que ensinei tudo pra ela, o que fazer pra conseguir mais biscoito, como fazer carinha de coitada, entrar embaixo das cobertas, mas também ensinei a ficar quietinha enquanto eles trabalham (mais ou menos), a nos comportarmos quando vem cliente aqui e principalmente dar carinho quando eles estão cansados. Eu gosto dela, ela é engraçada e divertida, meio estabanada, mas tudo bem, depois de fazer o nosso trabalho a gente passa a maior parte do tempo brincando de pega - pega ou dormindo encolhidas juntas."